A Boca da Verdade em Roma

Dia, como diria o Marcos, “bem legal”, hahaha…

Na verdade hoje foi um dia de extras. Sentimos que 3 dias inteiros em Roma teriam sido suficientes, então hoje o dia foi dedicado a ver os pontos ‘a mais’, com excessão do Castel Sant’Angelo que deixamos mesmo para hoje e a Boca da Verdade, que fica na igrenja Santa Maria in cosmedin e que foi nosso primeiro destino

Descemos na estação Circo Massimo e foi ótimo, pois conseguimos ter uma nova vista dele e do Palatino. Eu já tinha dito esses dias que fiquei decepcionada com o Circo Massimo, mas hoje li que a maioria das preciosidades arqueológicas deste sítio ainda estão enterradas. Comecei a olhá-lo com outros olhos depois disso e o lugar ficou fascinante :-)

O Palatino, visto dali também é ainda mais sensacional e dá pra ter idéia do tamanho!

Chegando na igreja Santa Maria in Cosmedin, já levei um susto, pois a Boca da verdade pode ser vista mesmo de fora. Está exposta na entrada da igreja e é enorme!

Só para situá-los: a Boca da Verdade é uma máscara  antiga que representa um Deus do Mar com a boca aberta e que teria sido utilizada como oráculo para decepar as mãos dos mentirosos. Dizem que ela foi usada durante a idade média como ‘juíz’ e que atrás dela, ficava um padre que dava um jeito de ‘morder’ a mão de quem ele julgasse mentiroso. Verdade ou não, hoje milhares de turistas visitam a máscara e tiram fotos tradicionais, como as que eu e Marcos tiramos hoje :-)

Bem, mesmo tendo visto a máscara logo na entrada da igreja, resolvemos entrar. A igreja é bem simples, mas bonitinha por ser beeeem antiga. O mais interessante é que existe nela uma cripta subterrânea, que, pelo que entendemos é muito mais antiga que a igreja e estava ligada a um templo pagão de antes de Cristo, dedicado a Hercules, que fica na esquina a frente da igreja.

Aliás, o templo é lindo e é o mais antigo e conservado templo em mármore de Roma, mas para variar um pouco estava fechado por conta de reformas no terreno! :-(

Enfim, saindo de lá andamos rumo a duas fontes de Bernini que ainda não tínhamos visitado. Andamos é força de expressão, pois hoje resolvemos fazer absolutamente tudo de metrô, pois já tínhamos andado bastante pela cidade esses dias e estávamos com os pés moídos, quase literalmente.

Bem, voltando as fontes, vimos hoje então a Fonte de Tristão e depois a Fonte das Abelhas, ambas de Bernini, como eu disse há pouco. São legaizinhas, mas nada demais. Depois de 3 dias em Roma, todas as fontes e igrejas começam a ficar comuns demais. Se elas estivessem em Campinas talvez seriam consideradas obras primas, hehehe…

Prossima fermata: Piazza del Popolo. Na verdade, descemos lá para conhecer então a Vila Borghese, mais especificamente o Píncio, de onde teríamos uma visão magnífica da cidade. Chegando lá o Marcos estava morto, então subi sozinha ao Píncio. A vista realmente vale a pena e o parque da Vila Borghese é linda! Se pudesse, teria ficado mais tempo por ali…

Partimos então rumo ao castelo. O caminho, felizmente passou de novo pelo Mausoléu de Augusto e pelo Ara Pacis e foi então que tive uma ótima surpresa: o museu estava aberto e eu poderia ver o lindo altar dedicado à deusa Pax!!!

Quase tive um treco de tanta felicidade. Entramos, é claro e fiquei ali algum tempo apreciando. Saber que ele foi encontrado soterrado e que está ali, praticamente inteiro e lindo, com um museu dedicado a ele!!! Perfeito!

Continuamos nosso roteiro rumo ao Castelo de Santo Ângelo, que é bem bonito, com algumas obras de arte interessantes principalmente a quem curte arte sacra, se bem que adorei ver lá um gato de Botero :-)

O que mais gostei, no entanto, foi a vista lá de cima, que é perfeita! Dá pra ver o Coliseu, o Pantheon e, de muito perto, a Basílica de São Pedro. Soube também que há uma passagem da Basílica para o Castelo, que antes era usada para transportar o papa em segurança e que, pelo que entendi, hoje está desativada.

Ah! teve mais um fato interessante: quando estávamos indo para o Castelo, passamos em frente ao Palácio de Justiça que é lindo, todo decorado e lá pudemos observar o quanto é caótico e zoneado o trânsito de Roma. Vou até escrever um post dedicado a isso depois. Temos o costume de falar mal do Brasil em muitas coisas, mas é uma visão romântica achar que na Europa tudo é perfeito e funciona direitinho. Tirei várias fotos da bizarrice que é o trânsito em Roma, depois falo mais sobre isso :-)

Para finalizar, neste dia estávamos mortos e ainda precisaríamos fazer as malas, então nada de jantar. Compramos umas besteirinhas pra comer a noite e ‘bora pro hotel’.

Amanhã é dia de Montepulciano! Estou ansiosíssima!

 


Comentários

Comentários

2 thoughts on “A Boca da Verdade em Roma

  1. Pingback: 4 Dias em Roma « MJTrips

Add Comment