New York – dicas práticas

Olá pessoal!
Além dos relatos de viagens que costumamos colocar aqui, vamos tentar criar um post com dicas práticas para cada cidade que conhecemos. A idéia com estes posts é fazer um overview rápido de tudo o que pesquisamos ou erramos e, assim, ajudar quem está planejando viajar também.

Vamos começar por New York, já que estamos aqui e está tudo bem fresquinho na nossa memória :)

Este post será atualizado conforme descobrimos e lembramos de novas coisas ou conforme respondemos dúvidas de amigos e leitores.

– Metrô de New York

Ao observar o mapa de metrô de New York, vc vai assustar. Mas calma!

É só decorar a regrinha: uptown sempre que precisar subir no mapa, downtown sempre que precisar descer e quando for andar na horizontal, pegar as linhas que vão em direção aos bairros (Queens, Bronx, Brooklyn)

Outra coisa que precisa saber é que os trens locais são os que param em todas as estações. Os expressos passam reto de várias delas, então precisa ficar atento. No mapa do link acima, somente os locais param nos pontinhos pretos.

Outra coisa que vale a pena, caso pretenda usar bastante, é o Metrocard. Pagamos $29 para uso ilimitado por 7 dias. Vc pode comprá-los nas máquinas que vendem tickets, dentro das estações. O passe individual custa $2,50 – ou seja, se pretender usar mais que 1 vez por dia, durante 7 dias, vale a pena :)

– Hotel em NY – como escolher?

Hotel em NY é caro. Os meses de janeiro a março são mais em conta. Final de Junho e início de Julho é desesperador de caro. Sério, chega a ser 3x mais caro que o normal, que já não é barato. Os meses de setembro a dezembro também são um pouco mais caros que o início do ano.

Sobre a localização do hotel, prefira Manhattan (claro!), ou vai perder bastante tempo de deslocamento. Em Manhattan, prefira pegar um hotel próximo a linha AZUL (A, B, C, E) do metrô, que passa em quase todos os lugares e tem muitas conexões. Se preferir ficar no Brooklyn, tente seguir a mesma regrinha. Na linha azul do metrô, tudo é mais fácil :)

Ainda não conheci o Brooklyn, mas sei que o pedaço legal lá é Williamsburg. Se fosse me hospedar lá, seria minha primeira opção. Devo ir lá no sábado, aí conto com mais detalhes.

Outra opção é pegar um apê pelo Airbnb. Foi o que fizemos e estamos gostando. Depois que formos embora posto aqui o link do que ficamos. A localização é legalzinha, mas não é na linha azul do metrô :(

– Onde (e o que) comer em NY?

Tem de tudo pra comer por aqui. Nós preferimos comida rápida e barata no dia-a-dia e uma extravagância ou outra ocasionalmente. Nesse espírito, indicamos:

Pret a Mager: é um tipo de lanchonete mais saudável, com opções naturais e bem gostosinhas. Eu que não sou nada natureba, adorei. Tem em tudo quanto é esquina e é um preço legal.

Così: Lugar agradável e comida boa. Comemos uma pizza feita em flat bread e estava uma delícia. Ficou em $20 para 2 pessoas, o que é um preço bom pra NY.

Shake Shak: Adoramos. É uma hamburgueria de ótima qualidade. Importante pedir a batata pra acompanhar o lanche, pois é bem diferente.

Jamba Juice: A especialidade é sucos, mas comemos um Waffle delicioso lá tbem. Os sucos são todos naturebas, mas gostei bastante do meu, que se dizia antioxidante (raspberry, blueberry, strawberry e fresh orange juice).

Hard Rock Cafe: Manjado, mas nós gostamos bastante. E o de NY é incrível, gigante, em plena Times Square. Mas prepare-se para a fila. Esperamos 1 hora para entrar ontem.

E não deixe de comer o Bagel com creamcheese. Tem em qualquer Starbucks ou cafeteria e é uma ótima e tradicional pedida pro café da manhã :)

– Principais atrações de NY

Costumamos sempre marcar todos os pontos de interesse em um mapa do google e dividí-los em cores por proximidade, de acordo com os dias que temos. Cada dia é uma cor:


View Nova Iorque in a larger map

Não seguimos isso a risca, mas pelo menos sabemos o que existe na região quando vamos visitar algum ponto.

Aqui vou falar só dos que achamos mais interessantes. Os não citados, na nossa opinião, não valem muito a pena ou ainda não visitamos:

– Times Square:

Vale cada segundo. Impossível não se impressionar. As únicas dicas são andar bastante, filmar um pouco da loucura, pois só fotos não são capazes de capturar o clima e claro, visitá-la à noite, que é quando tudo fica realmente incrível. Se quiser ir em um espetáculo da Broadway, a dica é reservar com antecedência pela internet ou comprar os tickets em promoção na Tickets. É fácil de achar: em baixo da arquibancada vermelha onde um monte de gente senta pra descansar e assistir aos imensos painéis luminosos.

– Broadway:

Imperdível, obrigatório, sensacional. Sério! Não deixe de ir. É caro sim, mas vale cada centavo. Nem eu, nem o Marcos somos big-fãs de musicais, mas ficamos super emocionados e apaixonados pelo espetáculo ‘O Rei Leão’ (The Lion King). Vale muito a pena.

– Central Park:

é enorme e abriga vários museus. Não conseguimos conhecer a fundo, só demos uma voltinha rápida na parte de baixo (próxima ao Columbus Circle), mas parece que uma boa idéia é alugar uma bicicleta na entrada principal e pedalar pelo parque. Passear sem obrigações, sentar em um banquinho e observar os esquilos foi o que fizemos e podemos dizer que foi ótimo, já que estávamos super cansados.

– Chrysler Building:

Um edifício bem alto e bonito. Chegou a ser o mais alto do mundo por algum tempinho e perdeu o posto para o Empire State logo em seguida. É em estilo Art Decó e a torre foi inspirada em um carburador. Você pode visitar o saguão, que é todo em mármore, mas é só. As melhores fotos podem ser tiradas na esquina da 3ª Av com a 43ª.

– Grand Central:

É uma linda e famosa estação de trem e metrô. Vários filmes já rodaram cenas nesse lugar, inclusive o recente “Amizade Colorida”. Vale conhecer o mercado, que é lindo e cheio de iguarias. A saída pra rua tem no teto uma árvore invertida com cristais, maravilhosa! Dentro da estação também ficam várias lojas famosas, como Apple, Mac e outras.

– Bryant Park:

Parque super charmosinho, em frente à Biblioteca Pública. Vários cafés e restaurantes funcionam ali. Vale muito a pena parar pra relaxar um pouquinho olhando o gramado verdinho.

– The High Line:

É um parque que foi construído sobre uma antiga linha elevada de trem. É bem legal e diferente. O que mais gostei foi do contraste entre os prédios antigos e moderníssimos que acompanham o parque, além do projeto de paisagismo que ficou bem legal e integrado à antiga linha.

– Empire State:

Um dos pontos mais famosos de NY. As vistas são realmente incríveis. Se não me engano custa $20 pra subir até o 86º andar, onde fica o primeiro observatório e mais $17 para chegar ao 102º. Só fomos no primeiro e fiquei super satisfeita. Na entrada, oferecem um mapa que explica o que se vê lá de cima, por mais $10. Não compramos e conseguimos nos localizar bem com o guiazinho (mixuruca) que entregam na entrada.

Rockefeller Center/ Top Of The Rock:

Na nossa opinião é a melhor vista de Manhattan. Se estiver com o tempo apertado e precisar escolher entre subir no Empire State ou no Top Of The Rock, sem dúvida aconselhamos a segunda opção. A vista é mais bonita, é melhor pra tirar fotos, dá pra ver o Central Park e perde-se muito menos tempo em fila e segurança. E o mapa da vista custa só $2, diferente dos absurdos $10 extras cobrados no Empire State.

– Memorial 11 de Setembro:

Não é um lugar pra se divertir, muito pelo contrário. Tem um clima pesado e é bem chocante refletir um pouco sobre o que aconteceu naquela manhã de terça-feira. As duas piscinas que tomam o lugar onde antes estavam as torres gêmeas são impressionantes e o novo complexo WTC que estão construindo está ficando incrível. Mas eu é que não teria coragem de trabalhar lá, vocês teriam? o.O

Bom, pra entrar lá você precisa fazer uma reserva online e levar o ticket. É de graça, mas o acesso é controlado. Importante saber que não se pode entrar com mochilas grandes e não tem lugar pra guardar, então melhor deixá-la no hotel. Câmeras são permitidas. Outra coisa que não existe no local é banheiro, então vá de bexiguinha vazia ;)

De lá, caminhe até o Battery Park (uns 15-20 minutos, mais ou menos) e passe para a próxima parada:

– Estátua da Liberdade:

Essa dica é quente :)
Para quem não quiser descer na ilha, vale muuuuito a pena pegar o State Island Ferry, que é de graça e passa perto o suficiente da Estátua da Liberdade. Tiramos fotos legais e demoramos apenas 1 hora pra ir e voltar, sem pagar absolutamente nada. O cruzeiro turístico que leva até a estátua e até a Ellis Island custa $17 dólares por pessoa e demora quase 3 horas.

Para pegar o Ferry, é só contornar o Battery Park pelo lado de dentro, ver alguns esquilos pelo caminho e chegar direto no píer de onde sai a embarcação. No andar de cima, é só ir até as portas de vidro e conferir a placa com os horários. Não precisa de ticket, nem nada. É só esperar na fila e entrar. Pegue um lugar do lado direito e fique na janelinha :)

– Intrepid:

É um museu do ar, água e espaço. É rápido de visitar e é bem interessante, já que você pode visitar um submarino de verdade, ver vários aviões militares, incluindo o Black Bird, que é o avião mais rápido do mundo e ver por fora a super famosa nave espacial Enterprise. Custa $24 para visitar o museu, incluindo o submarino e mais $6 se quiser ver a nave espacial.

O que mais gostaria de ver por aqui?
Se estiver procurando dicas de NY, deixe um comentário. Ficaremos felizes em ajudar :)

(Ainda temos 2 dias pra visitar a cidade, então logo postaremos novas dicas)


Comentários

Comentários

One thought on “New York – dicas práticas

  1. Pingback: Van Gogh, Estátua da Liberdade e Broadway « MJTrips

Add Comment