4 Dias em Roma

Hoje faz 1 ano que viajamos para a Europa! Passou tão rápido…

Para comemorar, resolvemos colocar aqui um roteiro e algumas dicas para quem, como nós, está planejando passar alguns dias em Roma – incluindo nossa amiga Cris, que vai passar dois dias por lá em breve. =)

Bom, vou tentar organizar os tópicos na ordem em que surgiram na minha cabeça quando estávamos planejando a viagem. Espero que lhes ajude. Qualquer dúvida, é só comentar!

Quantos dias?

A primeira dúvida que todo viajante tem é: quantos dias são necessários para conhecer a cidade? Seguindo o trajeto que montamos, 3 dias foram suficientes para conhecer Roma. Pegamos o 4º para conhecer pontos extras, que não estavam no planejamento inicial. Mas claro que tudo depende do quanto você vai dedicar a cada atração e o quanto está disposto a andar por dia.

Como escolher o hotel?

Em Roma existem milhares de hotéis. A maioria é feio e caro, mas não se assuste com a primeira impressão. No nosso caso, pegamos um B&B que parecia muito estranho a primeira vista, mas depois acabamos gostando muito, então super indicamos: Relais Mediterraneum. As fotos do site são bem mais simpáticas que o lugar, mas o atendimento é ótimo, a localização muito boa e tudo muito limpinho, com algumas facilidades extras disponíveis, como pantufas descartáveis. Além do mais, fica perto de um Mc Donalds, de uma sorveteria artesanal super gostosinha e de uma feirinha de indianos que vende roupas, sapatos e variedades por preços muito, muito, muito baratos – mulheres, divirtam-se! :)

Se optar por outro, a principal dica para escolher seu hotel é pegar um que fique próximo a qualquer estação de metrô da Linha B, que é a que passa na maior parte dos pontos turísticos.

Para quando chegar:

No aeroporto de Fiumicino, assim que sair do hall de desembarque, vire a direita e procure o posto de informações que vende o Roma Pass – Com ele você poderá andar de transporte público por 3 dias e terá direito a entrar em quaisquer 2 pontos turísticos em Roma, sem fila (exceto Vaticano)- claro que você deve usar essa vantagem para entrar no Coliseu. Ah, a visita ao Coliseu e ao Fóro Romano contam como uma única entrada o/. É só chegar, olhar a fila enorme e procurar pela entrada via Roma Pass para se deliciar com a sensação de pular todo aquele tempo desperdiçado :)

Atenção:
Você provavelmente vai precisar pegar um trem que sai do aeroporto e te leva à cidade. Provavelmente seu destino será a Estação Termini, então procure a bilheteria e compre um ticket para a segunda classe. Nós caímos na besteira de comprar na máquina e só tinha disponível pra primeira classe, que não tem nenhum conforto extra – pelo menos não percebemos.

Trem em Fiumicino, Aeroporto de Roma
Trem em Fiumicino

Depois que comprar o ticket, não se esqueça de validar o ticket nas maquininhas amarelas espalhadas nas plataformas de embarque. Essa dica vale para outras viagens de trem na Itália também. Se não validar, quando o fiscal passar pedindo o ticket vc terá que pagar uma taxa de aproximadamente 40 Euros!

Vaidador de Ticket na Itália – não se esqueça!

Quando for explorar a cidade,

Não esqueça de calçar tênis bem confortáveis, de preferência já batidinhos. E fique atento com os lugares de tomar café ou gelatto (o delicioso sorvete italiano) – a maioria dos lugares cobra um preço para se servir em pé e outro preço para consumir sentado. E a diferença de preço não é muito pequena.

Passeios e pontos turísticos

Bom, antes de tudo, é sempre legal montar o mapinha no Google Maps, com os pontos que quer visitar. No nosso caso, separamos os pontos por dias:


Visualizar Roma em um mapa maior

Cada cor representa um dia:

  • Amarelo = 1º Dia
  • Rosa = 2º Dia
  • Verde = 3º Dia
  • Vermelho = 4º Dia
  • Interrogação = Não chegamos a conhecer

Também temos por hábito colocar no mapinha o endereço do hotel que escolhemos, o aeroporto e eventuais estações de ônibus ou trem que vamos precisar usar. Assim fica fácil de visualizar o esforço necessário para o deslocamento.

Bom, abaixo segue o roteirinho escrito para o primeiro dia, que acho que é o mais importante – já que passa pelos principais pontos da cidade de Roma. O restante, vocês podem organizar de acordo com a quantidade de dias que tiverem a mais.

1º Dia – Roma à pé

Partindo da estação Coliseu – impressione-se com a vista ao sair da estação de metrô e se prepare para o que vem pela frente :)

Coliseu
Esta é a imagem que se tem ao sair da estação de metrô, dá pra acreditar?

Dê uma voltinha no Coliseu, tire as primeiras fotos por fora, fique inconformado com a quantidade de turistas e comece a andar pela avenida principal – Via dei Fori Imperiali. Vá andando por ela e observando o trânsito maluco, os turistas de todas as partes do mundo, as ruínas que estão em todos os cantos dessa avenida. O objetivo inicial é chegar ao Monumento a Vittorio Emanuelle II, mas até lá você verá muitas ruínas, principalmente do Foro Romano e do Foro de Trajano. Tudo lindo e cheio de história… muitas fotos :)

Monumento a Vittorio Emanuelle

Monumento a Vittorio Emanuelle

Umas das mais famosas praças romanas, onde se encontra o Vittoriano, monumento dedicado ao rei Vittorio Emanuele II e que abriga o corpo de um Milite Ignoto (soldado desconhecido) da Primeira Guerra Mundial representando todos os soldados que não puderam ter um túmulo com seus nomes.

Na parte superior do Vittoriano se encontra o Museo Centrale del Risorgimento.

Dicas: O Museu do Risorgimento possui um grande repertório de Giuseppe Garibaldi. Agora existe um elevador nas costas do monumento pelo qual é possível subir em seu ponto mais alto (custa, mais ou menos, 7 euros). Dá pra ver quase tudo de Roma, é muito legal, porém um pouco caro. Quem aguenta pode subir por uma escada interna do momumento, são 196 degraus! Fecha às segundas-feiras.

Não entramos no Museu do monumento e seguimos para o Campidoglio. É só contornar o monumento e subir a grande escadaria que fica logo ao lado.

Campidoglio

O monte capitolino é uma das sete colinas de Roma e é onde se situa a sede oficial do prefeito da cidade.

A praça foi modificada diversas vezes, mas o último projeto foi realizado por Michelangelo em 1536.

O artista queria que a principal atração da praça fosse o monumento equestre ao imperador Marco Aurélio (a estátua original se encontra nos Museus Capitolinos).

Campidoglio - Roma
Campidoglio – Praça projetada por Michelangelo, em 1536

Dicas: Na parte de trás do Campidoglio é possível ver e tirar fotos belíssimas do Fórum Romano. Ao lado da praça se encontra a igreja Santa Maria in Aracoeli, onde Santa Helena, mãe do imperador Constantino, está sepultada.

O trajeto a seguir é pelo meio de ruas ‘mais novas’, onde se pode sentir um pouco da cidade. Dependendo do horário, escolha um dos restaurantes que encontrar pelo caminho para almoçar. Evite ao máximo almoçar por perto do Coliseu, pois é tudo absurdamente caro.- nós almoçamos em uma cantina que fica na Via Celsa, mas não lembro o nome – foi gostoso! Comi minha primeira pizza com presuto parma. Hummm!

Partindo do restaurante rumo ao Pantheon, você passará por um lugar lindo, chamado Largo di Torre Argentina, ou Area Sacra.

Area Sacra / Largo di Torre Argentina

O Largo di Torre Argentina é uma praça em Roma, na zona de Campus Martius, onde constam 4 templos da época da República Romana, e as ruínas do Teatro de Pompeu.

Área Sacra – ou Largo di Torre Argentina, em Roma

Fonte: Wikipedia

A próxima atração será a Piazza della Minerva, uma praça pequenina, mas muito simpática, próxima ao Pantheon.

Piazza della Minerva

Mais uma das simpáticas “piazzas” italianas, esta tem como principal atração uma escultura de elefante que sustenta mais um dos obeliscos trazidos do Egito, erigido á época de Ramsés II.

A praça tem esse nome por causa de um antigo templo à Deusa Minerva. Sua estátua está hoje no museu do Vaticano.

Elefante de Bernini – Praça Minerva, Roma

O elefante foi criado por Bernini a pedido dos frades dominicanos que desejavam o obelisco na frente da igreja de Santa Maria Sopra Minerva.

Fontes: Eu já fui / Wikipedia

Em seguida, um lugar que eu estava muito ansiosa para conhecer: O Pantheon – que é o único edifício da época greco-romana que se encontra em perfeito estado de conservação. O lugar é assustadoramente grande e muito bonito.

Pantheon

O Panteão, situado em Roma, Itália, também conhecido como Panteão de Agripa, é o único edifício construído na época greco-romana que, actualmente, se encontra em perfeito estado de conservação. Desde que foi construído que se manteve em uso: primeiro como templo dedicado a todos os deuses do panteão romano (daí o seu nome) e, desde o século VII, como templo cristão. É famoso pela sua cúpula.

Pantheon – Roma

O Panteão original foi construído em 27 a.C., durante a República Romana, durante o terceiro consulado de Marco Vipsânio Agripa. Efectivamente, o seu nome está inscrito sobre o pórtico do edifício. Lê-se aí: M.AGRIPPA.L.F.COS.TERTIUM.FECIT, o que significa: “Construído por Marco Agripa, filho de Lúcio, pela terceira vez cônsul”.

Fonte: Wikipedia

Saindo do Pantheon, ande no sentido da Piazza Navona, uma das mais famosas de Roma. A praça tem o formato dos antigos estádios de Roma e sedia uma feira em alguns dias da semana. A fonte central é do artista Bernini e as outras duas de Giacomo della Porta.

Piazza Navona

Essa belíssima praça nos tempos da antiga Roma, era o Estádio de Domiciano. Além disso, bem ao centro da praça está a Fontana dei Quattro Fiumi (Fonte dos Quatro Rios) e, ao lado, existem vários artistas que expõem e vendem seus trabalhos. Os brasileiros ficam felizes da vida ao ver a bandeira do Brasil estendida em um dos prédios – é a Embaixada Brasileira.

Fonte de Bernini na Piazza Navona, Roma

E vamos em frente! Nesse momento você já deve estar começando a sentir dor nos pés, mas aguente firme. A próxima parada será em uma sorveteria deliciosa, chamada Giolitti. Dizem que é uma das melhores de Roma. Eu amei :)

Uma dica é: como você vai estar morto de cansado, sente na mesa e espere alguém te atender. Se você entrar na sorveteria, não terá direito a sentar.

Respire fundo e ande até a Piazza Colonna para conhecer a colossal Coluna de Marco Aurélio. Essa praça concentra a Roma política – O Palácio Chigi é a sede da Presidência do Conselho de Ministros, e logo a seguir se encontra o Palácio Montecitorio que é a sede da Câmara dos Deputados.

Em seguida, desça a rua e depois vire a esquerda na Via delle Muratte, em direção a Fontana di Trevi, um dos pontos mais famosos da cidade. Tenha um pouco de paciência, pois é uma muvuca só. Vá chegando até estar de frente com a enorme fonte e não deixe de jogar sua moedinha :)

Fontana di Trevi

A maior e uma das mais bonitas fontes de Roma.
Inaugurada em 1735, situava-se no cruzamento de três estradas (tre vie), marcando o ponto final do Acqua Vergine, um dos mais antigos aquedutos que abasteciam a cidade de Roma. A fonte foi construída pelas mãos de muitos artistas, inclusive com alguns detalhes de um projeto abandonado de Bernini.

Fontana di Trevi - autoria de vários artistas
Fontana di Trevi – autoria de vários artistas, inclusive Bernini

Curiosidades:
– Diz a lenda que jogar uma moeda de costas na fonte fará com que a pessoa retorne um dia a Roma.
– A fonte foi cenário de alguns filmes e até de um clipe de Bon Jovi.

Saindo da Fontana de Trevi, caminhe até a Piazza del Quirinale, onde está o Palácio do Quirinal – antiga morada do papa e atual residência oficial do Presidente da Itália.

Caminhando pela Via del Quirinale, você chegará a um cruzamento com 4 fontes, uma em cada esquina. Construídas entre 1588 e 1593, figuram nelas o rio Tibre (símbolo de Roma); o rio Arno, símbolo de Florença; a deusa Diana, símbolo da castidade; e a deusa Juno, símbolo da força.

Descendo a Via delle Quattro Fontane, você chegará à Basilica de Santa Maria Maggiore. Uma igreja muito bonita, mas rodeada de mendigos. Não me pareceu uma área muito segura.

De lá você estará pronto para ir embora descansar os pezinhos, mas provavelmente estará com fome. Fomos em direção à estação Cavour e encontramos um restaurante super gostoso, mas também não marquei o nome. Comemos mais uma pizza com presunto parma.

Atualizando: olhando pelo Google Maps, acho que o nome do restaurante é L’Archetto di Cabour e fica bem em frente à estação Cavour.

Bom, fizemos tudo isso também porque era horário de verão e o dia estava terminando perto das 21hs. Terminamos de jantar ainda tinha sol. Dependendo do horário, pegue um metrô e vá até a estação Coliseu para esperar escurecer e ver o lugar iluminado. Nós não fizemos isso e nos arrependemos até hoje :(

Para os outros dias, vou deixar aqui os links dos relatos de viagem:

E aí, o que acharam?
Espero que tenha ajudado. Se quiserem saber mais alguma coisa, é só deixar um comentário.

Boa viagem!


Comentários

Comentários

3 thoughts on “4 Dias em Roma

Add Comment